segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Cercas Vivas

Truques para elas fecharem mais rápido e os
segredos que garantem o sucesso no paisagismo


A função mais usada para uma cerca viva é a barreira visual. Nesse caso, é importante que a fileira de plantas feche o mais rápido possível. Veja alguns truques e macetes que os especialistas usam para ter sucesso com as cercas vivas: Sem sol, elas crescem devagar.

A engenheira-agrônoma Maria Tomioka observa atentamente a incidência do sol antes de plantar uma cerca viva. Ele tem que iluminar toda a fileira por igual e durante o dia inteiro. De um modo geral, as espécies de cerca viva gostam de sol pleno. Em uma situação de meia-sombra, elas crescem mais devagar.

A poda da ponteira ajuda a cerca viva a “encher”

A paisagista Maria Luiza corta as gemas apicais, que ficam na porta dos ramos, 2-3 meses após o plantio. Isso estimula a brotação das gemas laterais, que formam novos ramos e deixam a planta mais cheia. A técnica funciona melhor na épocas mais quentes, quando o crescimento da planta está acelerado.



Elas também podem funcionar como excelentes barreiras naturais



Se o seu problema é vento, ruído ou pó que vem da rua, se você quer privacidade e proteção, está na hora de olhar com mais carinho para as cercas vivas. Além de valorizar o visual do seu imóvel, essas espécies podem amenizar problemas comuns do dia-a-dia. Uma cerca de Sanção do Campo (Mimosa caesalpinoideae) adulta pode isolar uma área do jardim de ventos encanados, ao mesmo tempo em que veda a área de ruídos e do pó levantado pelo trânsito pesado. Essa espécie cria uma cortina verde com mais de 300 espinhos por m² e ramos entrelaçados, dando mais privacidade e proteção aos moradores. No uso dessa planta como anti-ruído e pó, quanto maior for o nível desses elementos, mais larga deve ser as cercas vivas, chegando a formar uma cortina espessa com 2-3 m de altura. Plante as espécies em fileiras com o espaçamento de 10 a 15 cm, assim o fechamento da cerca será total.

A importância da poda

As podas servem para determinar o estilo da sua cerca viva e para estimular a formação das plantas.
Além das tradicionais podas de limpeza, que devem ser feitas uma vez por ano para retirar os ramos secos e malformados, há outros tipos de podas úteis para deixar as cercas vivas mais densas ou mais arejadas.


Murta (Murraya peniculata)




A murta (Murraya Peniculata) é originária do Pacífico Sul, esta planta perfuma deliciosamente o ar nas noites de verão. Pertence à família dos citros, e floresce várias vezes por ano. Sua folhagem verde-escura e as delicadas flores brancas lhe dão uma silhueta elegante, muito adequada para ornamentar interiores. Cresce até 2m, mas também pode ser reduzida, quando cultivada por meio de técnicas de bonsai.



Após a queda das florescências, a murta fica repleta de frutos vermelhos.

É cultivado a pleno sol ou a meia sombra, em vasos, em raques ou em conjuntos podados com freqüência e mantidos como arbusto globoso, prestando-se para ornamentação. É resistente a geadas fortes, podendo ser cultivados desde o extremo sul até os tópicos.

Na produção de cerca-viva deve-se plantar as mudas com espaçamento de 25 cm.


Fonte via Agrotropical

Um comentário:

  1. Olá, Parabéns pelos artigos, eles tornaram o Blog excelente!!!
    Somos da Gramas Pardim uma empresa que produz, comercializa e aplica Grama Natural de altíssima qualidade nos mais diversos segmentos e regiões do Brasil.
    Visite nosso site e confira os Tipos de Grama que trabalhamos:
    Grama Esmeralda
    Grama Bermudas
    Grama São Carlos
    Grama Batatais
    Grama Santo Agostinho
    Grama Coreana

    Fornecemos para todo o Brasil, solicite-nos um orçamento para sua cidade e obtenha o melhor Preço de Grama do mercado, entre tantos municípios distribuímos:
    Grama em São Paulo SP
    Grama em Campinas SP
    Grama em Guarulhos SP
    Grama em Ribeirão Preto SP
    Grama em Belo Horizonte MG
    Grama em Rio de Janeiro RJ
    Confira !!!

    ResponderExcluir